domingo, 14 de março de 2010

A casa pintada

Editora: Rocco
Tradução: Aulyde Soares Rodrigues
ISBN: 85-325-1304-2
Páginas: 396
Ano de Lançamento: 2001

John Grisham sempre ouviu com atenção as histórias contadas por sua família. Acrescentou a elas a experiência de infância nos campos de algodão do avô, em Arkansas, Sul dos EUA, e uma dose de ficção. O resultado é A casa pintada, uma novidade na carreira de um dos mais lidos escritores americanos, consagrado no gênero legal thriller. Desta vez não há advogados, o protagonista Luke Chandler tem apenas sete anos, é fã de beisebol, do famoso time de St. Louis, os Cardinals, e de seu principal jogador, Stan Musial. Trabalha na colheita de algodão e conta em detalhes os episódios que envolveram a difícil safra do ano de 1952. Os costumes e valores de uma típica cidade do interior, as aventuras, dramas e o suspense são oferecidos ao leitor sob uma perspectiva infantil.

O patriarca, Eli Chandler — o Pappy —, vive na fazenda com sua mulher, Ruth, o filho Jesse e a nora, pais de Luke. Eles seguem fervorosamente a religião batista. O filho mais novo, Ricky, de 19 anos, luta na Coréia. Todas as preocupações estão voltadas para o cultivo do algodão, que obedece ciclos rigorosos, para as condições climáticas e o arrendamento da terra. Para a colheita, Pappy contrata dez imigrantes mexicanos e uma família de montanheses de Eureka Springs, os Spruill. A convivência entre os grupos não é nada harmoniosa. Hank Spruill tem um temperamento imprevisível e uma força muscular incontrolável. O misterioso mexicano Caubói carrega uma navalha afiada no bolso, semrpe pronta para entrar em ação. Dois assassinatos agitam Black Oak, e eles estão envolvidos. Caubói também assedia Tally Spruill, uma menina de dezessete anos que encanta Luke, com quem troca confidências, segredos e a cumplicidade de um banho sensual no riacho.

Os Latchers são os vizinhos meeiros e miseráveis, que sobrevivem graças à caridade. Quando Libby Latcher, de apenas 14 anos, fica grávida e revela que o pai é Ricky Chandler, a família se mobiliza em torno do bebê e teme o escândalo. Uma enchente, no entanto, provoca a radical mudança de planos. Luke experimenta o prazer de transformar a aparência da casa onde viveu durante toda a sua vida com a ajuda do amigo Trot, ao mesmo tempo que precisa abandoná-la com a família.

O título da obra tem origem numa história contada pela mãe do escritor. Ela lembra que uma colega da escola lhe disse: "Você não sabe do que estou falando porque mora numa casa pintada." A pintura era sinal de status em Black Oak, nos anos 50. Tijolos eram sinônimo de riqueza. Tanto Pappy quanto Jesse lutaram em guerras, e os personagens foram inspirados no marido de uma tia. O autor saiu de Black Oak aos sete anos, era obcecado pelos Cardinals e ouvia as partidas de beisebol no rádio na primavera, quando o algodão já estava plantado.

Um comentário:

  1. A Casa Pintada foi o último que acabei de ler, semana passada e é uma história deliciosa de se ler.
    A gente espera que o livro nunca termine.
    Bjks

    Drica

    ResponderExcluir